(11) 2682 6633 / 99457-3485


Sensor de nível em sistemas de dosagem industrial

Em unidades de processamento de líquidos como bebidas, alimentos ou produtos de limpeza, há a necessidade de se fazer misturas, tanto de líquidos quanto de materiais sólidos (geralmente são pós ou granulados) para que se obtenha o produto final. E a automação entra como um fator de economia e qualidade, pois equipamentos automatizados bem regulados e calibrados são a garantia de que todas as doses serão aplicadas com precisão, garantindo que todos os lotes sejam exatamente iguais.

E a este conjunto automatizado dá-se o nome de sistema de dosagem, que é um conjunto de equipamentos capaz de identificar e aplicar quantidades precisas de matérias primas liquidas ou solidas. E para que esta dosagem ocorra, o sistema é projetado de acordo com a necessidade do processo de fabricação e da viabilidade econômica, devido ao custo de aquisição de todos os equipamentos e instrumentos. De forma genérica, esse sistema é composto por tanques, misturadores, bombas, motores elétricos, e sensores de temperatura, pressão, densidade, volume/nível, válvulas, etc.

Para que o sistema de dosagem seja bem projetado, ele deve ser compacto, não ocupar muito espaço da área de aplicação, possuir sistema operacional e painel amigáveis e intuitivos, com instrumentação avançada, como o sensor de nível ultrassônico e medidores de vazão, e software de controle que permita o gerenciamento completo. Sendo assim, este conjunto identifica, através do sensor de nível de cada matéria prima, qual o estoque disponível, e de acordo com a receita do produto, é possível calcular o volume de produção, tempos de reabastecimento e ainda emitir requerimentos de compra automaticamente, garantindo que a linha não ficará parada por falta de estoque de algum produto, além da acuracidade e precisão sem a necessidade de recalibração constante.

Em algumas ocasiões, a automatização da dosagem pode parecer um gasto desnecessário ou que o retorno do investimento possa ser demasiadamente longo, como por exemplo instalar sensor de nível ultrassônico em cada tanque de matéria prima. Mas medir a dose de matéria prima incorretamente significa pagar mais (pelo produto que fora produzido fora dos padrões e será descartado) do que é recebido pelo produto com a qualidade requerida pelo cliente. Com o passar do tempo a falta de precisão e controle acaba sendo mais onerosa do que a aquisição dos sensores de nível para a completa automação do processo.