(11) 2682 6633 / 99457-3485


Medidores de vazão – Definindo o tipo de medidor

Os primeiros relatos sobre controle de vazão estão registrados em nome de Leonardo da Vinci, em 1502, que observou que a quantidade de água que escoava por unidade de tempo em um rio era a mesma em qualquer parte, independente da largura, profundidade ou inclinação. Mas o desenvolvimento efetivo dos instrumentos de medição de vazão ocorreu através dos estudos de pesquisadores com Bernoulli e Pitot.

Desde então estes são instrumentos bastante comuns no cotidiano de qualquer pessoa, pois eles estão presentes nas casas nos hidrômetros, o marcador de combustível dos carros, nas cidades que possuem sistema de distribuição de gás, nas bombas de abastecimento dos postos de combustíveis, entre muitas outras aplicações. São usados em uma infinidade de aplicações, fazendo com que haja vários modelos de medidores de vazão, sendo cada modelo especifico para cada aplicação, de acordo com a necessidade da aplicação.

Estes tipos de medidores são baseados nas características do fluido a ser monitorado, podendo ser de alta ou baixa viscosidade, gases combustíveis, ar comprimido, líquidos sujos, líquidos com partículas sólidas, com temperaturas elevadas ou temperaturas baixas. Por exemplo, o medidor tipo turbina, é aplicável a medição de gases com temperatura de até 120°C, indicado para gás natural, gases combustíveis, gases industriais, gases de processo, ar comprimido, etc. Os medidores tipo turbina também são aplicados na medição de fluidos limpos, água, acetona, xaropes, etc.

Já para a medição de fluidos viscosos, medidores de vazão tipo deslocamento positivo com engrenagens ovais são mais adequados. Suportam temperaturas de até 140°C, tipicamente aplicados onde a viscosidade se torna um fator de dificuldade para aplicar outros tipos de medidores. Outro tipo de medidor é o tipo roda d’água, que opera baseado em um princípio de funcionamento eletromecânico, simples porém preciso, construído com quatro magnetos permanentes, inseridos nas pás do rotor. Quando giram, geram um campo eletromagnético no sensor, proporcionalmente a vazão do fluido, produzindo um sinal de pulsos senoidais, os quais permitem o interfaceamento com diferentes instrumentos de leitura.

Para a medição de líquidos sujos, abrasivos, corrosivos e pastosos, o tipo magnético é o mais indicado. São dotados do sistema DBE (Double Balanced Electrodes) que permitem eliminar todos os ruídos elétricos, quer seja os de efeito capacitivo entre os eletrodos e o circuito eletrônico, quer seja os de natureza eletroquímica entre fluidos e os eletrodos, ou mesmo os de efeito indutivo no medidor. E por fim os medidores ultrassônicos que oferecem a vantagem de não entrar em contato com o fluido mensurado, sendo capaz de medir, exibir, transmitir, exibir e controlar o nível de tanques, estações de bombeamento e monitorar o fluxo de canais abertos.